Você está aqui
Home > Destaque > LANÇADA A PRIMEIRA EDIÇÃO DO ÍNDICE DE TRANSPARÊNCIA DA MODA BRASIL

LANÇADA A PRIMEIRA EDIÇÃO DO ÍNDICE DE TRANSPARÊNCIA DA MODA BRASIL

Abvtex foi uma das apoiadoras da iniciativa e participante do conteúdo

Foi lançado, hoje (11), em São Paulo, o relatório “Índice de Transparência da Moda Brasil”, uma realização conjunta das equipes brasileira e global do Movimento Fashion Revolution, para analisar em que medida 20 grandes marcas e varejistas de moda estão comunicando ao público sobre suas cadeias produtivas – e incentivar uma maior prestação de contas em relação aos impactos socioambientais do setor.

Com o apoio institucional da Abvtex – Associação Brasileira do Varejo Têxtil, a publicação teve a implementação e desenvolvimento de pesquisa realizados pela equipe do Fashion Revolution Brasil, em parceria técnica com o Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getulio Vargas (FGVces), e teve como base as informações disponibilizadas em canais como sites e relatórios de responsabilidade social corporativa, ou de sustentabilidade; e no questionário com quase 200 perguntas, enviado aos representantes das marcas, com o objetivo de estimular um processo participativo.

O diretor executivo da Associação Brasileira do Varejo Têxtil, Edmundo Lima, participou da mesa-redonda no lançamento. Ele afirmou que “a ABVTEX busca promover a transparência entre a cadeia de valor da moda, pois a entidade e suas associadas querem jogar luz às questões que precisam ser mais aprofundadas em debates das organizações e da sociedade em geral sobre responsabilidade social e o papel de cada um. Quanto mais força tiver o movimento de transparência, maior será a onda positiva capaz de motivar a adesão de uma parcela do mercado em prol da moda sustentável, mais justa e responsável”.

Foi avaliada a disponibilidade de informações oferecidas pelas empresas em cinco categorias: “Políticas e Compromissos”, “Governança”, “Rastreabilidade”, “Conhecer, Comunicar e Resolver” e “Tópicos em Destaque”.

“A intenção é que o Índice se torne uma ferramenta útil para todos, despertando um olhar crítico sobre a transparência atual e a evolução das marcas ao longo do tempo. “Queremos enfatizar que o leitor use as descobertas do Índice para refletir sobre as tendências gerais de transparência e os padrões de divulgação de informações, em vez de se concentrar em qual marca pontuou mais do que a outra”, explica Eloisa Artuso, gestora do projeto e diretora educacional do Fashion Revolution Brasil.

Aron Belinky, coordenador da equipe de pesquisas da FGVces que atuou no projeto, ressaltou o potencial do relatório como catalisador de mudanças: “Esperamos que a primeira edição do ITM Brasil encoraje as empresas locais a comunicar a forma como gerenciam os seus negócios e os impactos de suas operações, e também a abrir o diálogo com seus públicos de interesse. Que iniciativas como essa sirvam de modelo e inspiração a outros setores da economia brasileira, com desafios tão abrangentes quanto os da indústria da moda.”

cópia de ITM CAPA Baixe o relatório em português no link: https://issuu.com/fashionrevolution/docs/fr_indicedetranparenciadamodabrasil

 

 

Deixe uma resposta

Top