Você está aqui
Home > e-commerce > “BLACK FRIDAY DA PANDEMIA” ANTECIPOU EM ATÉ 8 SEMANAS OS DESCONTOS DO E-COMMERCE, QUE CHEGAM A 51,36 %, EM MÉDIA

“BLACK FRIDAY DA PANDEMIA” ANTECIPOU EM ATÉ 8 SEMANAS OS DESCONTOS DO E-COMMERCE, QUE CHEGAM A 51,36 %, EM MÉDIA

Este ano, adesão histórica chegou a 98,35% dos mais de 1,5 milhão e-commerces no País. Pesquisa foi feita pela BigDataCorp., sob encomenda do PayPal Brasil

Para reagir à queda da atividade econômica provocada pandemia do Covid-19, o varejo on-line brasileiro apostou este ano na antecipação das liquidações de Black Friday – a sexta-feira que sucede o Dia de Ação de Graças nos Estados Unidos. A rápida adesão dos brasileiros às compras online em 2020 para driblar os riscos de aglomerações no comércio tradicional levou a uma Black Friday de adesão sem precedentes. Por isso mesmo, mirando a retomada das vendas, há dois meses a adesão às promoções viralizou-se no Brasil. Há oito semanas 63,25% das lojas on-line já ofereciam promoções. À meia-noite, ao final desta quinta-feira, dia 26, a adesão das lojas virtuais às ofertas de Black Friday chegou a 98,35% dos mais de 1,5 milhão e-commerces do País.

“Boa parte do varejo buscou atrair um consumidor temeroso de desemprego e da queda nas atividades econômicas. Por isso, apostou na antecipação das promoções. Os descontos foram maiores este ano e já eram significativos dois meses antes da Black Friday”, comenta Thoran Rodrigues, CEO e fundador da BigDataCorp.

Ao lado do Dia das Mães e do Natal, já é a data mais expressiva do comércio eletrônico, segundo a Webshoppers. Para mapear esse fenômeno do varejo on-line, o PayPal e BigDataCorp, acompanham as ofertas de Black Friday na web desde 2015, sendo esta a sexta edição do levantamento. Os descontos médios de 2020 superaram os do ano passado (42,59%), batendo em 51,36%, o que pode caracterizar uma reação do comércio ao difícil cenário que vemos hoje.

“O e-commerce tem sido um grande aliado do varejo, seja ele pequeno ou grande, neste ano. A pandemia quebrou as últimas resistências às compras on-line, trazendo uma adesão massiva de consumidores ao comércio eletrônico. Boa parte dos descontos mais significativos já estava valendo há duas semanas da Black Friday, o que é mais impactante do que ter os descontos só em cima da hora”, diz Thiago Chueiri, Head de Vendas do PayPal Brasil.

METODOLOGIA DA PESQUISA

A BigDataCorp realizou a coleta dos sites para esse estudo a partir de uma base de dados com endereços (URIs). Essa base foi construída por um processo que roda há oito anos e que visita mais de 1,5 bilhão de sites no mundo inteiro. A empresa utiliza o processo de captura de dados da internet extraídos de visitas a mais 28 milhões de sites brasileiros, dos quais são obtidos informações estruturadas e seus links. Os sites são acessados e se faz o download dos documentos HTML. São desconsiderados os sites inativos, ou seja, os que estão fora do ar ou que não respondem a visitas por quatro semanas seguidas. Também são desprezados os que, por oito semanas consecutivas, não fazem qualquer alteração em seu conteúdo. Assim, são considerados neste estudo cerca de 14 milhões de sites ativos no Brasil.

PRINCIPAIS RESULTADOS

  • Nesta sexta-feira (27/11), entre os grandes e-commerces com mais de 500 mil acessos por mês, o desconto médio foi de 59,74%. Entre os demais e-commerces, ela chegou a 50,58%.
  • Nas oito semanas antes da Black Friday, os descontos deste ano chegavam a 5,94%, em média. Já, duas semanas antes da data, os descontos avançaram progressivamente para expressivos 45,35% este ano (contra 10,58% em 2019, e 3,9%, em 2018).
  • No top 5 categorias em que a pesquisa Big DataCorp. encontrou os maiores descontos, medalha de ouro vai para livros, músicas e filmes (59,25%), seguidos por brinquedos (55,98%), eletrônicos (58,22%), roupas/moda (51,16%) e cosméticos (45,96%).

(*) Os valores citados são preços médios dos sites, ou seja, a média do preço de todos os produtos vendidos em uma dada loja virtual.

Ilustração: starline / Freepik

Deixe uma resposta

Top