Você está aqui
Home > sustentabilidade > ECOMODAS CRIA SAPATILHA ECOLÓGICA COM RESÍDUOS DO POLO TÊXTIL DE FRIBURGO

ECOMODAS CRIA SAPATILHA ECOLÓGICA COM RESÍDUOS DO POLO TÊXTIL DE FRIBURGO

Mais do que uma marca familiar que produz moda, a EcoModas Confecções possui uma causa que é a preservação do planeta e, dentro deste conceito, cultivam mudas de árvores da Mata Atlântica fazendo o reaproveitamento de cones de linhas de costura industrial (plástico) que seriam descartados pela própria EcoModas e também por outras confecções de Nova Friburgo. Tais árvores, cultivadas no espaço denominado Viveiro Educandário, que é o local onde cerca de 1300 mudas de árvores são cultivadas a cada 06 meses e que, posteriormente, são doadas para preservar nascentes e matas ciliares em Nova Friburgo. Ao longo do nascimento deste projeto de cultivo de mudas nativas até os dias atuais, mais de 15 mil mudas já foram cedidas à população. E muito mais do que reutilizar lixo têxtil, cultivar e contribuir com plantio de novas árvores, Alex e Adriana dedicam parte do tempo, que é bem corrido, para promover a educação ambiental, ou seja, o Viveiro Educandário, que conta com a participação de alguns parceiros, serve para que escolas públicas e privadas de Nova Friburgo e cidades vizinhas possam levar seus alunos para vivências educativas acerca do tema ambiental, de modo que a nova geração possa ser influenciada por eles em cuidar da natureza. Eles também realizam um outro projeto denominado Bomba de Sementes que envolve crianças, jovens e adultos na tarefa de produzir estes artefatos ecológicos e fazer o lançamento em locais estratégicos.

A ideia de confeccionar sapatilhas partiu de Adriana Santos, estilista e gestora de qualidade da EcoModas, que durante a sua juventude trabalhou como sapateira em uma fábrica de calçados artesanais de couro. Foram mais de 12 meses trabalhando para criar este produto, ou seja, a EcoModas realizou um verdadeiro laboratório de testes, pesquisas, união de componentes e parcerias. A EcoModas, vale lembrar, iniciou suas atividades em 2010, passando por diferentes segmentos na área de confecção, entretanto há alguns anos Alex e Adriana Santos se encontraram verdadeiramente com a forte vocação da marca, ou seja: moda com responsabilidade ambiental.

“Desde o início, não queríamos fazer o que todos fazem. Queríamos algo que pudesse representar aquilo que somos no dia a dia, e este universo de sustentabilidade ambiental é algo que vivenciamos e está presente no DNA da nossa marca. Todos os prêmios, a visibilidade na mídia e por sermos a primeira confecção no Brasil a receber honra ao mérito Selo Verde Ecolmeia, certamente foi algo que também contribuiu para que mergulhássemos definitivamente na produção de moda sustentável” – comenta Alex Santos, gestor de comunicação e projetos da EcoModas que enfatiza que acima de tudo é necessário amar o que se faz e, segundo ele, o sucesso é uma consequência de um trabalho bem feito com dedicação e carinho. A EcoModas vem se tornando um referencial em confecção sustentável no Brasil.

Adriana Santos, antes de iniciar a produção das Sapatilhas Ecológicas da EcoModas, voltou ao seu amigo e antigo patrão, Caíque, da sapataria onde trabalhou no passado e passou alguns dias ao lado dele realizando vivências para relembrar os processos de fabricação. “A EcoModas precisava dar novos passos e traçar novas direções e, conversando com Alex, enxergamos que além das bolsas em jeans reciclado, também poderíamos incluir as sapatilhas. Começamos a estudar o mercado, fazer alguns cursos e vivências, buscar parcerias para então iniciar os processos. Foi um longo tempo desenvolvendo este produto, pois não queríamos fazer qualquer coisa, pois eu sou criteriosa com qualidade e Alex com conteúdo e sustentabilidade. Graças a Deus, unimos forças e cumplicidade, como casal e empreendedores, e chegamos a este resultado que tem agradado a todos os nossos clientes” – Disse Adriana Santos acrescentando que jamais esquecerá o apoio de todos os seus amigos e amigas que lhe abriram as portas e ajudaram na evolução deste projeto. E, segundo ela, não vai parar apenas em sapatilhas femininas, já que também pretendem ampliar o mix de produtos para conquistar o público infantil e masculino.

E foi olhando e buscando uma solução para o vasto volume de lixo têxtil gerado pelo polo industrial de confecção de Nova Friburgo, ou seja, cerca de 400 toneladas de resíduos por mês, que Alex e Adriana Santos decidiram reutilizar parte deste material para criar suas sapatilhas ecológicas cuja proposta da EcoModas é alavancar as vendas para todo o Brasil através da sua loja on line de modo a ampliar e deixar as suas ações pela preservação ambiental autossustentáveis. O polo de confecções de Nova Friburgo atualmente conta com diversas marcas que produzem lingerie e moda fitness, cuja grande maioria utiliza tecidos oriundos da poliamida e poliéster – materiais que podem levar muitos séculos para se decompor no meio ambiente.

As sapatilhas da EcoModas são produzidas utilizando sobras de tecidos fitness, que antes de serem empregados na fabricação dos respectivos calçados são devidamente analisados pela estilista Adriana Santos para compreender se estão dentro das tendências do universo da moda, e tais tecidos também passam por alguns processos mantido por eles a sete chaves. “Foram muito testes. Dedicamos muito tempo para desenvolver as técnicas, adaptar e investir em maquinários para chegar ao produto ideal, exclusivo e ecológico” – comentou Dri Santos enfatizando ainda que a diversidade de materiais, o olhar técnico voltado à moda, e que nem sempre um par é igual ao outro, é o que torna as suas sapatilhas bem mais atraentes e interessantes. Além dos retalhos de poliamida e poliéster, a EcoModas também reutiliza calças jeans e tecidos de estofamento e decoração.

E se engana quem pensa que o fator de sustentabilidade ambiental está presente apenas no reaproveitamento dos tecidos, pois toda a sapatilha da EcoModas foi construída buscando a sustentabilidade plena. O solado, por exemplo, é feito a partir da reciclagem de 130 gramas de plásticos retirados do meio ambiente. Já o forro, usado na parte interna do calçado, é oriundo da reciclagem de cerca de 30 gramas de garrafa pet, ou seja, a mesma foi derretida e transformada em fios que seguidamente foi levada à tecelagem para se transformar em tecido, e até mesmo o processo de estampa usada para ilustrar o respectivo forro é feito de maneira limpa sem agredir o meio ambiente. A palmilha é proveniente do reaproveitamento de 20 gramas de espumas de bojos. A etiqueta externa é feita a partir do reaproveitamento de retalhos de couro legítimo. Até as sacolas usadas como embalagens são produzidas a partir do reaproveitamento de 25 gramas de sacos de batatas que seriam descartados por lojas de supermercados que são lavados em água de reaproveitamento e secados naturalmente ao sol. Até o uso da cola foi pensado de maneira a reduzir o seu consumo e gerar menos embalagens – que inclusive foi um dos componentes mais testados visando impor durabilidade no produto final.

Toda a beleza e conforto do produto, aliado à sustentabilidade existente por detrás de cada processo e o envolvimento da marca com o plantio de árvores e educação ambiental, certamente são fatores relevantes e fortes que levarão a EcoModas Confecções a dar passos cada vez maiores rumo ao seu desenvolvimento. “Para alguns somos totalmente loucos, para outros somos super-heróis e para alguns somos puro marketing. Somos pessoas determinadas, com o propósito de fazer o bem, trabalhando de forma honesta e acreditando, acima da tudo, que Deus nos escolheu para plantar sementes da consciência ambiental na cabeça das pessoas, seja crianças ou adultos. Cremos também que os nossos produtos são bons tanto em design e qualidade e que agora é alinhar a rota e seguir em frente!” – Conclui Alex Santos.

Para outras informações, acesse www.ecomodas.com.br ou mande uma mensagem no whatsapp 22 999730834.

Fotos: Divulgação

 

Deixe uma resposta

Top